terça-feira, 10 de junho de 2014

"Não há destino se não o fizermos"

Série "Frases de Filmes", Nº 1



(Terminator 2: Judgment Day, Todos os direitos reservados à  Columbia Pictures Inc.)



No filme "The Terminator 2", também conhecido como T2 (no Brasil: O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, há uma cena onde os protagonistas estão em uma residência localizada no meio do Deserto de Mojave, na Califórnia. Em dado momento, a personagem Sarah Connor (interpretada pela atriz americana Linda Hamilton), sentada em uma mesa de madeira, com pensamentos e olhares distantes, rabisca com sua faca a expressão "No Fate", que é trecho da frase "no fate but what we make", o que em uma tradução livre, soaria como no título dessa postagem, "Não há destino se não o fizermos".

Não vou me delongar muito sobre o filme em si, que diga-se de passagem, é uma ótima produção cinematográfica, um verdadeiro clássico dos anos 90, na minha opinião.

A questão que venho discutir nessa postagem, e nas próximas dessa série "Frases de Filmes" é analisar o contexto da frase em si e toda a carga de subjetividade que a acompanha.

O destino (palavra cujo contexto eu desaprovo), de maneira popular, é usualmente tido como uma sucessão inevitável de acontecimentos relacionada a uma possível "ordem universal cósmica". Portanto, segundo essa concepção, o destino conduz a vida de acordo com uma ordem natural, da qual nada que existe pode escapar. Concepção antiga, é presente em algumas mitologias, mas também em correntes filosóficas.

O problema é que nada disso faz muito sentido. O destino nada mais é do que uma ilusão que nós mesmos criamos para tentar encaixar acontecimentos em nossas vidas, sejam eles fatalidades ou virtuosidades.

TUDO o que fazemos hoje, repito, TUDO, cada ação, por mais trivial que seja, irá refletir no futuro, seja ele curto médio ou longo prazo, portanto esse suposto "destino" que você tanto divaga está sendo construído agora, hoje, por você mesmo. 

Agora o único aspecto "sobrenatural" disso tudo, se é que posso usar essa palavra, é a incrível capacidade que a vida tem de cobrar a conta de atitudes erradas que nós tomamos. Isso não é uma crença pessoal, nem verdade universal, é a forma que eu entendi, da maneira que as coisas ocorreram para mim, o que pode não ocorrer com você. Mas pra que arriscar né? Construa seu destino! Comece agora, já!



2 comentários:

Alice Gonçalves disse...

essa frase tem tudo a ver com o que você diz: "não há destino se não o fizermos". nada acontece por "acaso". nada vai acontecer se não nos empenharmos. então, como você mesmo diz: que construamos nosso destino a partir de já! :)

Alice Gonçalves disse...

essa frase tem tudo a ver com o que você diz: "não há destino se não o fizermos". nada acontece por "acaso". nada vai acontecer se não nos empenharmos. então, como você mesmo diz: que construamos nosso destino a partir de já! :)