sexta-feira, 25 de julho de 2014

O Que Posso Refletir Até Agora?

Série "Reflexões Pessoais", Nº 5


É engraçado, mas as vezes certas pessoas a gente encara como se tivessem partido. De fato partiram, não fazer parte mais de nossa vida, elas não existem mais no plano que a gente conhece como habitual.

Destarte elas não morreram, estão vivas, seguem suas vidas normalmente, ignorando nossa própria existência, tem uma vida toda pela frente, pulsando de possiblidades, sem nós mesmo para interferir nesse plano maravilhoso.

Mas o mais estranho disso tudo é que  mesmo que no começo o pensamento não fluísse de forma clara, agora sabemos que é simples, sim! Tudo flui sim de forma clara, e não é mais necessário autocomiseração.

É simples e eu consigo sentir alegria, como se aquela fase de luto tenha passado, sinto alegria por outra pessoa simplesmente porque esteja vivendo, e não esteja morta, apesar de estar de fato morrendo em meus pensamentos.

Agora em relação à outra pessoa, ah sim! Vem coisa por ai...


("você não faz ideia e não controla, mas o resultado, como isso pode te mudar, pode ter surpreender")



2 comentários:

Marli Fiorentin disse...

"sinto alegria por outra pessoa simplesmente esteja vivendo, e não esteja morta, apesar de estar de fato morrendo em meus pensamentos." Poxa, isso é muito complicado. É estranho quando pessoas que fazem parte de nossa vida, de uma hora pra outra é como se morressem ,mas estão vivas. Abraço!

Luís Eduardo G. Costa disse...

E um processo natural, difícil e lento, porém natural. E uma escolha, aliás a melhor escolha, deixar que a pessoa morra em nossos pensamentos pra continuar vivendo. Obrigado pela participação, abraço!