terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Desejo, Ensejo

Série "Poesias e Devaneios", Nº 11


Talvez, transbordando no papel, eu transbordo meus sentimentos.
Talvez, transbordando esperança, eu abandono meus discernimentos.
Mas eu digo que posso, posso insuflar cada desejo.
Em cada segundo poder configurar com cada ensejo
Não posso disse exatamente como te quero tanto
Mas só posso dizer que o amor vem, não dependendo de desejo, entretanto...

Te amo, te quero. 

"eu daria tudo agora pra saber a sua reação sobre tudo isso"

Nenhum comentário: