quarta-feira, 6 de maio de 2015

Algo sobre correspondência, ou "Como Vou Achar Você"?

Série "Reflexões Pessoais", Nº 17


Escrita é pouco, mas a forma de comunicação nossa inexiste, e olha não duvido de você ser inundada delas, as formas mas diversas de comunicação, onde estão presentes...
Mas normal, mesmo que eu tenha que mudar, talvez eu mude móveis e lembranças do lugar, isso pouco faz sentido, porque não é algo já desgastado...

Não adianta eu querer medir amor... gosto tanto de você, até preciso deixar escondido.
Mas tem uma simetria latente, nossos nomes  mesmos são praticamente idênticos... mais um ponto pra nossa simetria...

Eu acho tão lindo isso, isso de ser estranho, e eu sinto que a beleza é mesmo tão transiente, é uma idealização que existe na mente... talvez seja isso...

Talvez amanhã eu perceba que a quimera seja inatingível, talvez eu prefira esconder no que eu possa sentir, mesmo porque isso não tem menor intenção de acontecer.

Mas a simetria deriva de nossos nomes. Eles são simétricos, seriam virtualmente idênticos, e vejo você com mesmo título que eu, versão feminina, se ostentar de uma forma que não achei que seria provável,  nome  e sobrenome juntos iguais quase mas a junção de meros nomes não significam nada praticamente...

Mas é meio inútil escrever, pois você não vai ler, mas isso deixa pra la, pois vamos esquecer disso tudo.



"Acredite em mim! Eu realmente te quero, realmente sigo te amando!"


Um comentário:

Anônimo disse...

"Acredite, eu te quero e sigo te amando."