terça-feira, 16 de junho de 2015

Rotina

Série "Curtas", Nº 21


Aurora se render, tarde tombar
Sol se vai, breve aceitar
Absurdo da vida. Noite a chegar
No escuro: dúvidas, suor, chama
Para a alvorada o apagar
E sob a luz primeira do dilúculo
Às cinzas do sistema retornar...
Não cessa, mas cessará um dia.



É como se matar e renascer. Acho que eu já vivi cerca de dez ou quinze mil vidas.

Nenhum comentário: