sábado, 6 de junho de 2015

Penumbra dos Homens

Série "Poesias e Devaneios", Nº 21


Não importa o que você é, mas o que irá se tornar
Não importa onde estás, mas onde tentará chegar
Nem importa o que tens, mas o que poderá mostrar
Liberta do que te pesas, talvez assim conseguirá

Dos teus feitos mais sublimes?
Inúteis, não vão te transformar
Se apoiar no inexplicável?
É Tédio. Nada vai se revelar!

Das tentativas humanas e tansas
Ínfimos os caminhos a trilhar
Verdade obscura, inalcançável
No fim prevalecerá 

Supremacia da razão, busca exata da realidade
Breve sensação de triunfo, perfeita mediocridade 
Absurdo sobrenatural, diante de falha mortalidade
Superar breve existência, conquistar a eternidade

Perca sua essência, e você morrerá dentro de si.



"Antes de mais nada lembremos que morreremos e seremos esquecidos. Portanto, busquemos a felicidade dentro da alma e não fora. Entreguemo-nos ao nosso Espírito. Somente ele estará conosco após a morte."






Nenhum comentário: