quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Me deixe num canto

Série "Poesias e Devaneios", Nº 27


Se, por mil demônios, me encontrar num canto
Não chores por mim, não se dê ao trabalho
Não ampare o corpo que jaze no assoalho
Não se preocupe em me enterrar na vala
Na primeira oportunidade apenas me abandone
E se hesitar e ficar me encarando
Verá sua vida que também vai se acabando
Vai chorando, vai rezando
Sai correndo, vai embora procurar ajuda
Mas não me acuda. Eu morri.
Não estou ali, não preciso estar
Vou te agradecer, minha boa moça 
Se você apenas me deixar em paz.

Alice Gonçalves
"então me deixe aqui, me deixe num canto"

5 comentários:

Leonardo Alex Oliveira disse...

Tem profundidade e aquele tom melancólico que as vezes a alma precisa...

Leonardo Alex Oliveira disse...

Tem profundidade e aquele tom melancólico que as vezes a alma precisa...

Leonardo Alex Oliveira disse...

Tem profundidade e aquele tom melancólico que as vezes a alma precisa...

Leonardo Alex Oliveira disse...

Tem profundidade e aquele tom melancólico que as vezes a alma precisa...

Ilone disse...

Desnudou a alma. Lindo Alice.