quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Carta: "Não é a imagem que eu tenho de você, é você!"

Série "Cartas Perdidas", Nº 14


É algo que praticamente ninguém nota, praticamente é ninguém mesmo, mas não quer dizer que inexista, mas sim tem a ver com o quanto eu escondo isso de tudo e de todos. Quanto mais o tempo passa, mais aumenta o que posso descrever como uma "ebulição" dentro de mim, e mais aumenta a graça em poder te viver!

E a simples expectativa de ter você por perto, de só de saber que você está na iminência de trocar um olhar comigo? O coração dispara, e em atropelo ele quase para, algo infantil, quase primitivo.

E cada vez que você estava, perto ou não, pode estar cada vez mais forte dentro de mim, coisa rara de acontecer, você martelando em minha mente 24h por dia, e fazendo meu coração martelar ainda mais forte, por consequência.

Você me olhou? Com os olhos olhava o que eu não sei bem, olhos de águas vindas de outros oceanos. Quem sabe seria com você, que eu poderia ter todas as tardes, aquelas que sempre me faltaram, como miragens, como invenção. Se eu não posso ter, eu fico imaginando, eu fico me perguntando, se as simples palavras, pois sei que são meras palavras, causam algum efeito sequer em você. 

Portanto tudo isso que eu sinto, tudo é algo que cresce sem meu consentimento. Desculpa, não pude impedir. Eu amo você.


"eu nunca vou me despedir de você"

4 comentários:

Unknown disse...

Muito lindo, eu gosta muito.. felicidades por tu poesía amigo es muy buena ☝👍

Eunice Veliz disse...

Muito lindo, eu gosta muito.. felicidades por tu poesía amigo es muy buena ☝👍

Eunice Veliz disse...

Muy bonita tu poesía amigo, me gusta mucho, Felicidades

Adms Asmec disse...

Lindo perfeitos.