quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Acerca do Ódio

Série "Reflexões Pessoais", Nº 21



Hipocrisia, todos cânticos são ecos destoantes de palavras vis.  Ideologias imbecis. Alias, não são bem as ideologias, são coisas que falamos e que ouvimos, e nos enojamos de tanto ouvir e ouvir e simplesmente cansamos de tanta nojeira epistemológica. Me canso de ouvir palavras de ordem e palavras improvisadas.

Não falaremos agora de negativismo, mas eu falarei de coisas e sentimentos que me enervam à flor da pele. Eu, você e o resto, puro ódio disfarçado de um amor falso de filme romântico barato clichê.

Odiamos o ódio ou nós odiamos o fato de que odiar é “errado” no politicamente correto vigente atualmente? Eu não odeio o ódio, ele é mais útil que o desespero. Só basta saber cultivá-lo de forma correta, vamos conseguir canaliza-lo de forma eficiente, assim como se canaliza a energia atômica pra produzir energia elétrica ao invés de bombas mortais.

A vida é curta, muito curta, e a espera é longa. As estrelas, lá no alto desaparecem com o amanhecer, e sempre somem, porque eu estou lá praticamente todos os dias, vejo o céu negro se tornar azul escuro aos poucos, e ir esclarecendo, eu percebo que o mundo não para pra nos esperar.


Tão latente como o ódio é o amor, mas esse, prefiro não comentar.

Os poetas odeiam o ódio e fazem guerra à guerra.



2 comentários:

Anônimo disse...

Não é errado sentir ódio, mas este sentimento não nos faz bem. A vida é curta de mais para se perder tempo odiando algo ou alguém. Só podemos retribuir aos outros os sentimentos que temos dentro de nós. Para ser feliz é preciso deixar para trás todos os inimigos, amores não correspondidos e todo sofrimento. É preciso renascer e começar uma nova vida. Dar uma nova chance a si mesmo.

Ribeiro disse...

O ódio nem sempre é algo que "apenas destrói". Ele é uma energia pura e simples, e assim como foi dito, deve ser "canalizado" de forma mais adequada.