sexta-feira, 25 de março de 2016

Bem sentir, bem levar

Série "Poesias e Devaneios", Nº 34


Eu chamaria por alguém semelhante
Se semelhante eu fosse à alguém
Talvez vivesse no constante
Se o inconstante não fosse tão assim
Tão Perfeito

E tendo em mãos tanta energia, tanta vida
Me pergunto sobre o desejo de novas realidades
Só haverá fogo, se o combustível restar
E esse, à passos largos
É deturpado em litros de ganância e espinhos sem flores

Você me disse um dia
Que nesse lar só haveriam
Nuvens de promessas e chuva
Chuva da mais cristalina realidade

Pois que nos afoguemos então
em míseras risadas sinceras
E de todas as suas diferentes feridas
Que a maior seja aquela que melhor lhe representa

Vivi, eu sei, chorei também
Só que por mais doce que seja o teu caminho
É de igualdade
Igualdade que o mundo precisa

Raoni Loran


"...distante, de tudo..."



Um comentário:

grace karla disse...

O mundo tem se tornado cada dia mais desigual. É uma pena. Seria melhor se as pessoas se tornassem semelhantes, se entendessem melhor. Existem tantas pessoas cheias de palavras vazias, com ausência de sentimentos.
"Vivi, eu sei, chorei também".Tudo seria melhor se as lagrimas fossem apenas de alegria, se as pessoas se alegrassem com pequenos gestos sinceros. A vida seria melhor sem a maldade de terceiros, sem inveja, sem pensamentos maliciosos. A vida é curta, ainda temos anos pela frente, mas o tempo voa, ele não dá nenhuma pausa para nos esperar, ele segue. Não vamos deixar nada para amanhã, principalmente o que pode ser feito hoje. A vida é curta de mais para ficarmos parados pensando se devemos ou não dar chances e perdoar as pessoas, ela é curta de mais para se viver com medo. O bom da vida são os momentos felizes, e esses momentos só dependem de cada um de nós para se tornarem reais.