sexta-feira, 4 de março de 2016

Não é você, é apenas a imagem que tive de você!

Série "Subversões Textuais", Nº 1 



Texto de Referência: Carta: "Não é a imagem que eu tenho de você, é você!"



É algo que todos estão notando, praticamente toda massa tansa, mas não quer dizer que vai existir de fato, mas sim tem a ver com o quanto eu escancaro isso pra tudo e de todos. Quanto mais o tempo passa, mais aumenta o que posso descrever como uma "congelamento" dentro de mim, e mais diminui a graça em poder te perpetuar.

E a simples expectativa de ter você longe, de só de saber que você está na iminência de nunca nem mesmo trocar um olhar comigo? Me bate uma tranquilidade! É algo infantil, quase primitivo, sensação de que isso estou longe do perigo e do desprazer.

E cada vez que você estava, perto ou não, pode estar cada vez mais fraco dentro de mim, se for uma paixão utópica, ou mais forte, que consiste num desprezo, coisa extremamente comum de acontecer, você e você nunca aparecer nem na minha mente e nem mesmo no mesmo espaço físico que o meu, e fazendo meu coração ter calma, por consequência.

Você me olhou? Com os olhos olhava o que eu não sei bem, olhos de águas turvas e turbulentas, água parada, água ruim. Quem sabe seria sem você, que eu poderia ter todas as tardes, aqueles momentos sozinhos de meditação, que sempre me faltaram, como miragens, como invenção, tranquilas. Se eu não posso ter, eu fico imaginando, eu fico me perguntando, se as simples palavras, pois sei que são meras palavras, causam algum efeito sequer na sua conscientização.

Portanto tudo isso que eu não sinto, tudo é algo que mantém sem sentir, com meu consentimento. 

Desculpa, não pude impedir. Desculpa mesmo, eu não tenho coração, eu vendi ele bem barato.


"Me despeço quantas vezes for necessário, se assim desejar..."

5 comentários:

Anônimo disse...

Todos temos um coração. Mas ele acaba se tornando duro e frio com o passar do tempo. Ele se quebra tantas vezes e não volta a ser como antes. A gente evita encontrar uma certa pessoa por que sabe que apenas um olhar vai trazer milhares de lembranças, momentos, risadas, ocasiões especiais, festas, comemorações, brigas, desconfianças, arrependimento... Mas um sempre é mais forte que o outro. Enquanto um tenta se aproximar o outro se afasta. Um age com o coração e o outro com a razão. Os papéis se trocam a cada conversa. Mas no final um sempre se afasta.
Belo texto. Ficou ótimo.

Você sabe quem sou disse...

Não preciso do seu coração, ele não me serve de nada.
Mas seu corpo sim, esse me fascina.
Me encontro no teu olhar perdido, me perco nas suas palavras difíceis e nos seus discursos variados culturalmente, me delicio com seus beijos que sempre trazem uma mordida, um querer mais, seu abraço envolve não apenas meu corpo, mas minha alma, e seu sorriso, mesmo discreto se faz solar.
E quando você anda pela sala com uma garrafa de cerveja, achando um lugar no sofá pra poder acariciar meus cabelos enquanto a gente tenta se entender é fofo
E quando você toca cada parte do meu corpo com tesão, mas com um misto de respeito, me faz acreditar em relacionamentos sadios
E quando você diz que o cheiro do alho que ficou nas minhas mãos enquanto cozinhava pra gente não tem importância e me agarra, que tesão que dá.
E quando depois de lençois molhados de suor e de prazer você me olha pedindo pra ir pro banho comigo só tenho vontade de te querer mais.

Rayane Lucas disse...

A vida é assim... Quanto mais você se decepciona, menos consegue crer que possa existir algo bom que venha a durar. Às vezes colocamos um fim nas coisas sem nem ter começado, não é ser ruim, sem coração, é medo! O medo nos afasta de tudo o que pode ser bom, como eu que tenho medo de água, mas ouço todos dizerem que o mar cura...
Como quem tem medo de amar, mas só tentou vez ou outra, prefere desperdiçar as chances de um recomeço...
É um belo texto, reflete a realidade, algo que muitas vezes não conseguimos mudar, por mais que pareça ser o melhor caminho...

Anônimo disse...

Esse texto é bem mais melancólico que a sua contraparte, mas é bem mais realista.

Marina disse...

A gente inverte as coisas, e tudo faz sentido.... parabéns pelo texto