domingo, 10 de julho de 2016

Esquinas e amores

Série "Poesias e Devaneios", Nº 36


Porque em cada esquina, em cada lacuna
Ruas vazias, a rua escura
Vento gelado, saudade batendo
Amor solitário, amor de loucura

Dia batendo, noite sem fim
fera rugindo, rubor pulsando
Sei de você não sei mais de mim
Sei de nós dois, paixão exalando

Minha presença, se faz tão presente
e sua ausência, em mim tão crescente
Em rondas sem fim, serei nobre infante
Em seu coração, seu mais doido amante

 
Pois que no fim tudo muda
Não haverá mais temor
Pois de ti mesmo só quero
O seu mais forte amor

Não temo minha morte
Nem da vida o rechaço
Pois vou te prender
Pra sempre no meu abraço 

 "Te prenderia pra sempre em meu abraço."


 

Um comentário:

Joaana D'arc disse...

A leveza de amores supera os temores..