terça-feira, 6 de setembro de 2016

O Caminho de um Guerreiro

Série "Poesias e Devaneios", Nº 37


Minha alma, cerração
Coração, uma bomba
O medo dominou meu corpo
Em mil dúvidas, sem razão

Longas noites claras
Dias escuros, não tem volta
Obstinação, sem saber o que ver
A descobrir, não podia adiar

Suor e sangue, a liberdade
Finda na paz, com sacrifício e coragem
Auto-engajamento para respostas alcançar
Sem revolta não chegaria a nenhum lugar

Estado de caos, depois o de equilíbrio
Difícil enxergar se a alma vira o inimigo
Essência absurda. Existência contingencial
No fim, força e honra sempre serão vitais

Manchado de sangue enfim tudo claro
Entendi o caminho. Me transformei
Trilhei o meu caminho
E libertei meu disparo

"Uma alma sem respeito é uma morada em ruínas. Deve ser demolida para construir uma nova."

2 comentários:

Anônimo disse...

Sou o Genbu e lhe digo que estou retornando à outerspace a fim de fortalecer o conservadorismo.

Anônimo disse...

Volte para o buraco de onde vc nunca deveria ter saído, André Carvalho.